Sello Oração E Caridade

Respeitável Loja de São João

Oração e Caridade nº 22

II Encontro Nacional Brasil Rectificado

2° ENCONTRO NACIONAL BRASIL RETIFICADO

 

26/11/2022 – Foz do Iguaçu – PR
________

Aconteceu no último final de Semana de Novembro de 2022, em Foz do Iguaçu – Paraná, o II Encontro Nacional das Lojas Retificadas Jurisdicionadas ao Gran Priorato Rectificato de Hispânia, “Brasil Retificado”.

II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Oriente

Representantes dos estabelecimentos Maçônicos dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e do Paraná estiveram presentes, além de visitantes de Obediências Maçônicas do Brasil e do Exterior.

II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Posado1

Na ocasião foram recebidos no Grau de Aprendiz Maçom dois novos irmãos para a Respeitável Loja de São João CCav. da Regeneração N° 18, foram Recebidos ao Grau de Mestre Escocês de Santo André 6 irmãos membros das Lojas do Brasil a fim de que o trabalho da Maçonaria Retificada neste território seja cada vez mais ampliado. Um dos pontos altos do encontro foi o Lançamento da Tradução em Português da Obra “Documentos Fundacionais do Regime Escocês Retificado”, compilados pelo Grão Mestre/Grão Prior do G.P.R.D.H. Diego Cerrato Barragán, que foi traduzida pelo Respeitável Deputado Mestre B.A.I. João Dias Neto com revisão do B.A.I. Rodrigo Dias Martins, que de forma pioneira colocará a disposição dos Irmãos de língua Portuguesa, no início do ano de 2023, as Atas dos Conventos das Gálias e de Wilhelmsbad, os Códigos da Ordem Retificada, Correspondências selecionadas de Jean Baptiste Willermoz e o itinerário da Ordem Retificada da França do Sec. XVIII até o Brasil nos tempos atuais. A edição será publicada através de uma conceituada Editora Maçônica Nacional.

II Encontro Nacional Brasil Rectificado-DM-Libro

Durante a Reunião os Irmãos Retificados puderam reafirmar solenemente, na presença dos visitantes, o compromisso assumido de manter integral e inviolavelmente a fidelidade aos Princípios fundacionais do Regime Escocês Retificado promulgados nos Conventos de Lyon (1778) e Wilhelmsbad (1782).

II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Banderola
II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Libro
II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Mesa1
II Encontro Nacional Brasil Rectificado-DM
II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Azul
II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Posado Mesa
II Encontro Nacional Brasil Rectificado-Comida

Festa de São Miguel Arcanjo 2022

Festa de São Miguel Arcanjo 2022

Por ocasião da celebração da Festa de São Miguel Arcanjo no Grande Priorado Retificado de Hispania no último sábado, dia 1º de outubro, onde nesta ocasião se realizou numerosos e frutíferos trabalhos.

Na sexta-feira à tarde, dia 30 de setembro, realizou-se um Capítulo de Noviciado na Prefeitura de São João Evangelista, em Madri, com a recepção do novo Escudeiro Noviço, o BAI Andrés B. G., dos Vales de Toluca (México).

Festa de São Miguel Arcanjo 2022 - Diploma

Após o Capítulo de Noviciado, se celebrou a reunião anual do Grande Capítulo da Ordem, onde foram renovados alguns cargos de Grandes Dignatários, além da nomeação e instalação de outros novos, retificando e assumindo, entre outros, os seguintes acordos: conforme proposta do Grande Conselho da Ordem, o Sereníssimo Grande Mestre/Grão-Prior Diego C. B., eq. a Sacro Corde, é renovado em seu cargo por unanimidade para outra legislatura; nomear, in eternum, Grão-Mestre Emérito/Grão-Prior Emérito de Honra ao M. R. Ir. José Manuel C. P.; nomear e instalar como Deputado Grão-Mestre Nacional/Grão-Prior Adjunto e Prefeito da Prefeitura de São João Evangelista, de Madri, ao M. R. Ir. Jesus S. L., eq. a Vera Lux; constituir as seguintes Lojas Simbólicas de São João: Cruz de San Andrés nº20, do Oriente de Toluca (México), Cavaleiros da Rosa e da Cruz nº21, do Oriente de São Paulo (Brasil), adesão da Santo Grial nº25 ao Oriente da Cidade do México (México), proveniente do Grande Priorado das Gálias; e nomear Deputado Mestre da Justa e Perfeita Loja de Santo André Caballeros del Grial nº8, ao Oriente de Cochabamba (Bolívia), ao R. Ir. Carlos David P. A., sendo instalado neste Grande Capítulo.

Festa de São Miguel Arcanjo 2022 - Oriente

No sábado à tarde, dia 1º de outubro, realizou-se a reunião do Diretório Nacional das Lojas Reunidas e Retificadas da Espanha, onde este ano se contou com a presença das delegações visitantes do Diretório Nacional Retificado da França – Grande Diretório das Gálias, representado pelo seu Sereníssimo Grão-Mestre/Grão-Prior Jean-Marc Vivenza e seu Deputado Mestre Geral Patrick Dosseto, e da Grande Loja Regular da Espanha de Menfis-Mizraim. Enviaram suas desculpas os Sereníssimos Grandes Mestres do Grande Priorado Retificado da Itália e da Grande Loja Soberana de Portugal, com quem teremos a oportunidade de nos reunir no mês de abril, em Lyon. Este ano, o Sereníssimo Grão-Mestre/Grão-Prior do GPRDH ofereceu aos presentes um discuso intitulado “Os Laços Indissolúveis da Fraternidade Maçônica”, que foi acompanhada com atenção por todos.

Festa de São Miguel Arcanjo 2022 - Posado

Foi anunciada a data da próxima Festa do DNRF-GDG, que será no dia 1º de abril de 2023, em Lyon, e contará com a presença de uma delegação do GPRDH, como de costume, para seguir a fortalecer os laços fraternais e espirituais estabelecidos em torno do objetivo comum de reconhecer, defender e conservar o Regime em sua especificidade organizativa, estrutural e doutrinal, a fim de que sua essência não seja alterada pelo tempo, declarando nossa vontade de promover o referido Regime Retificado, conservando a todo momento a fidelidade integral aos seus Princípios fundacionais promulgados nos Conventos de Lyon (1778) e Wilhelmsbad (1782).

À noite foi realizado um jantar fraternal com as damas, onde houve momentos de descontração, convivência e recordação.

Festa de São Miguel Arcanjo 2022 - Cena

Já no domingo pela manhã, dia 02, a Justa e Perfeita Loja Cabaleiros da Rosa nº01 abriu os trabalhos para uma Recepção ao 4º grau de MESA, do BAI Victor G. F. Dos Vales de Toluca de Lerdo (México).

E no final dos trabalhos e celebrações deste longo e proveitoso final de semana, retornamos para nossos lugares de origem com a feliz satisfação de dever cumprido e o desejo de compartilhá-lo com todos os Irmãos, que por motivos de saúde ou de distância não puderam nos acompanhar.

A Festa da Renovação da Ordem

A Festa da Renovação da Ordem

De 06 de novembro, por Gilles Ducret

Eis que, há pouco mais de dois séculos, a Maçonaria Retificada tomava corpo no Convento Nacional de Lyon, realizada em novembro de 1778. É deste Convento que data o Código Maçônico das Lojas Reunidas e Retificadas que prevê, no capítulo de Banquetes & Festas, junto as de São João, esta festa de Renovação da Ordem de 06 de novembro.

O referido Código especifica que durante esta Festa será feito a leitura do Código dos Regulamentos Maçônicos e o Orador pronunciará um discurso solene, no decorrer da qual sugerirá que se possa falar da reforma alemã e francesa, e das ações de beneficência que a Maçonaria tem feito nas diversas regiões da Europa. Prevê também que será tratado, neste dia, de reunir no mesmo local todas as Lojas da mesma cidade ou de uma mesma Comarca.

Não querendo tomar aqui o lugar do Irmão Orador, nosso papel se limitará, simplesmente, a chamar a atenção dos Irmãos sobre a importância que reveste esta Festa, também para a Ordem em geral, e para esta Loja e cada um dos que a compõem em particular.

Nos limitaremos a três observações e um desejo:

I. A importância desta Festa para a Ordem em geral

Esta Festa, enquanto Festa da Ordem, nos parece afirmar três coisas essenciais:

  1.  A noção de Ordem;
  2. A ideia de uma renovação da Ordem;
  3. A consciência da vocação iniciática da Ordem.

1º. A noção de Ordem

Esta noção de Ordem está sempre presente na Maçonaria Retificada. Mas, de que Ordem se trata?

O Irmão Preparador anúncia durante a entrada do candidato (cf. Ritual do Grau de Aprendiz.)

“Lhe convidamos a não confundir jamais a respeitável Ordem dos Franco-Maçons com essa multidão de indivíduos, e também de Lojas, que usurpam esse título, embora ignorem ou desconheçam a finalidade real e seus verdadeiros princípios, e que degradam assim a Franco-Maçonaria com sua conduta, e mais ainda pelas falsas doutrinas que adotam e que não escondem professar”.

O Venerável Mestre veste o Aprendiz com o avental dizendo-lhe (cf. Ritual do Grau de Aprendiz.) “Receba de minhas mãos o hábito da Ordem mais antiga e respeitável que jamais existiu”.

Trata-se assim, sem nenhum equívoco, da Ordem dos Franco-Maçons.

2º. A ideia de uma renovação da Ordem

Diz-se, que a Maçonaria Retificada sempre desejou, desde sua fundação, por reformar, por restituir a Franco-Maçonaria autêntica. Todos conhecem esta passagem de uma carta de Willermoz a Charles de Hesse, de 12 de outubro de 1781: “Estou convencido, desde minha entrada na Ordem, de que a Maçonaria velava verdades raras e importantes, e esta opinião se transformou em minha bússola”.

Desde então, para Willermoz, retificar a Maçonaria foi sua razão de existir, fazendo dela o veículo das “verdades raras e importantes” que ela possuía sob forma velada. Esta aí o que podemos chamar de Renovação da Ordem, pois a retificação esperada e trabalhada por Willermoz encontrou sua consagração nos Conventos de Lyon e Wilhelmsbad.

3º. A consciência da vocação iniciática da Ordem

É em razão desta vocação iniciática que a Maçonaria havia perdido, pelo que Willermoz empreendeu sua retificação, trazendo os Irmãos de volta à Ordem. É essencial para um Maçom, sentir que pertence a uma Ordem com a qual deve formar um corpo. E esta festa, como as demais festas, nos permite reafirmar, de coração e de palavra, este laço essencial.

II – A importância desta Festa para nossa Loja

O trabalho de retificação da Maçonaria, empreendido por Willermoz, deve ser continuado por nossa Loja. A este respeito, três coisas nos parecem essenciais na renovação de nossa Loja:

  1. A busca da unidade;
  2. O ideal espiritual mais elevado;
  3. O trabalho necessário para alcançá-lo.

1º. A busca da unidade

Nossa Loja deve assim ter, continuamente, a preocupação pela sua coesão, por sua unidade, que lhe assegurará a estabilidade necessária em seu desenvolvimento.

2º. O ideal espiritual mais elevado

Este ideal espiritual passa, primeiramente, pela consciência constante de representar nos trabalhos da Loja a Ordem dos Franco-Maçons, no que ela tem de melhor, de mais respeitável e de essencial. É a própria consciência, a ideia fixa de Willermoz: “a Maçonaria é o veículo de verdades raras e importantes”.

3º. O trabalho necessário para alcançá-lo

É o trabalho em seu sentido mais espiritual. Nada pior que uma Loja que sussurra comodamente no conforto espiritual de uma boa oficina, crendo-se a melhor das oficinas de obreiros, o “modelo a ser seguido”. É a análise profunda dos símbolos da Loja, através de uma prática rigorosa do Ritual, da exigência desse trabalho diante dos Irmãos que a compõem.

III – A importância desta Festa para cada um dos Irmãos da Loja

Este trabalho de retificação deve ser continuado, também, para cada um dos Irmãos. A esse respeito, três coisas nos parecem essenciais ao Maçom para sua própria renovação:

  1. O sentido de compromisso na Ordem;
  2. A consciência de uma renovação necessária;
  3. O sentido do amor fraternal.

1º. O sentido de compromisso na Ordem

O compromisso do maçom é algo de suma importância. Sim, porque não é um compromisso penoso, é o compromisso do homem livre.

E esta Festa da Renovação da Ordem, não é também a Festa em que nós mesmos renovamos nossos compromissos perante Deus, perante nossos Irmãos e perante a humanidade? Nosso compromisso na Ordem traz em si a verdadeira liberdade, como verdadeiramente é uma semente.

2º. A consciência de uma renovação necessária

Se não tivéssemos consciência desta necessidade, estaríamos aqui neste momento? Trata-se, como bem disse São Paulo, “de matar o homem velho para originar o homem novo”, como que fazendo eco as palavras de João Evangelista: “Eis que faço coisas novas”. Em virtude das maravilhosas correspondências que tem com o milagre da Unidade, a Ordem é também nossa própria ordem interior. É verdadeiramente inerente a uma Ordem autenticamente iniciática, que nos permite reencontrar nossa ordem interior. Em outras palavras, esta Festa é também a Festa de nossa própria renovação na Ordem.

3º. O sentido do amor fraternal

É o amor que nos renova, que transforma a visão com que olhamos nossos Irmãos. Como se pretende amar Deus se somos incapazes de amar nossos Irmãos? Amar teu Irmão pelo que ele realmente é, pelo que ele É no fundo de si mesmo, sendo assim tanto para você quanto para qualquer outro, que esta renovação revela cada um a si mesmo. É nisto que consiste a revelação que Nosso Senhor nos revela no mais profundo de nossos corações, ali onde o silêncio e a pureza recebem sua Palavra reveladora.

Que possamos dizer com o apóstolo João, o bem-amado do Senhor, “sabemos que passamos da morte para a vida porque amamos nossos Irmãos”. Em outras palavras, esta Festa é também a Festa de nossa própria renovação no amor fraternal.

E para concluir, um desejo…

Que esta Festa seja vivenciada, no próximo ano, como uma verdadeira Festa, com toda a alegria, todo o amor fraternal e todo o esplendor que ela merece. Que nesta ocasião, tenhamos todos uma plena consciência de ser um com esta Ordem, a mais antiga e respeitável que nunca existiu.

Que possamos, para a Glória do Grande Arquiteto do Universo, e em nome da Ordem, nos preparar no mais profundo de nossos corações, ali onde cessam todas as palavras vãs, mas onde reina o Verbo, eternamente, a fim de que estejamos verdadeiramente renovados.

80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA (1935 – 2015)

80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA

 

 

80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA
Constituição do “Grande Diretório das Gálias”, durante a Sessão da Prefeitura de Genebra em 23 de março de 1935 em Neuilly-sur-Seine, Paris, em J. Baylot, Histoire du Rite Écossais Rectifié de France au XXe siècle, Collection historique, Grande Chancellerie de l’Ordre, 1976, p. 71.
80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA
Carta Constitutiva e Cartas patentes para o despertar do Regime Escocês Retificado na França, sub a Obediência do Grande Diretório das Gálias.
(Grande Priorado Independente de Helvétia, 20 e 23 de março de 1935)
80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA

 

 

80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA
Assinatura do Tratado de Reconhecimento e Amizade entre o Diretório Nacional Retificado da França – Grande Diretório das Gálias e o Grande Priorado Retificado de Hispania, em 14 de dezembro de 2014 em Lyon, França.

80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA (1935 – 2015)

No ano de 2015 é celebrado um importante aniversário, o do “despertar” do Regime Escocês Retificado na França, e a constituição, para organizar a via iniciática e administrar seu funcionamento, do Grande Diretório das Gálias.

Assim nos apresenta a ocasião de recordarmos as razões de tal iniciativa da parte de Camille Savoire (1869-1951), e de compreendermos a perspectiva de março de 1935 e que permanece idêntica em 2015, onde as mesmas causas que impulsionaram na época de Camille Savoire para retirar o Regime do sistema obediencial permanecem absolutamente vigentes.

Com efeito, vendo que era impossível estabelecer uma prática autêntica do Regime Escocês Retificado no interior de formas obedienciais, que o submetiam a um marco de critérios administrativos, políticos e ideológicos que lhe são estranhos, Camille Savoire, percebendo que em razão de sua essência e de sua natureza organizativa, este sistema maçônico e cavaleiresco elaborado no séc. XVIII por Jean-Baptiste Willermoz (1730-1824), devia, para respeitar sua essência fundacional, ser vivido fora de estruturas maçônicas multi-rituais andersonianas, decidiu-se realizar em março de 1935, com a ajuda do Grande Priorado Independente de Helvétia (G.P.I.H.), último a conservar neste período esta transmissão, o despertar completo do Regime Escocês Retificado na França, reconstituindo nos dias 20 e 23 de março de 1935 em Paris o “Grande Diretório das Gálias”, que alojaria após o Convento das Gálias (1778) as três Províncias francesas da Ordem (IIª de Auvernia, IIIª de Occitania e Vª de Borgonha).

Assim, em 23 de março de 1935, seria realizada em Paris a Sessão histórica da Prefeitura de Genebra, presidida por Ernest Rochat, Grão-Prior do G.P.I.H., que antes se encarregou de denunciar o tratado de 1911 firmado com o Grande Oriente da França (G.O.D.F.), e instalou a Prefeitura de Neustrie outorgando uma Patente oficial para Camille Savoire concedendo-lhe, como Grão-Prior do Grande Diretório das Gálias, toda autoridade para criar na França estabelecimentos do Rito Escocês Retificado. [1]

Em seu discurso histórico, Camille Savoire ressaltou que o G.O.D.F. se oporia a prática autêntica do Regime Escocês Retificado e que o Grande Diretório das Gálias constituiria assim, para responder as exigências willermozianas, uma Ordem autônoma e independente, composta de membros “desejosos de afastar-se das Obediências francesas cujas artimanhas estavam em contradição com o caráter da franco-maçonaria”. [2]

A Patente expedida estipulava que: O Grande Priorado de Helvétia, segundo as prerrogativas próprias de sua função, tem reconhecido expressamente o Grande Diretório das Gálias, como Potência regular, autônoma e independente do Regime Escocês Retificado na França, com os mais amplos poderes para criar neste país Prefeituras, Comendadorias, Lojas de Santo André e eventualmente qualquer Loja Simbólica do Rito Retificado sub sua Obediência, e proclama na pessoa do Mui Rev. Cav. Benfeitor da Cidade Santa, doutor Camille Savoire, in ordine eques a Fortitudine, o primeiro Grão-Prior, Grão-Mestre Nacional. [3]

Quatro meses mais tarde, depois da constituição do Grande Diretório das Gálias, um Tratado de Aliança e Amizade foi concluído com o Grande Priorado de Helvétia, em 05 de julho de 1935, em Genebra e no dia 25 do mesmo mês em Paris, sendo este “por um período indeterminado”, reconhecendo-se as duas Potências maçônicas como únicas Potências Soberanas do Regime Escocês Retificado em seus respectivos países, a saber: o Grande Diretório das Gálias para a França, e o Grande Priorado Independente de Helvétia para a Suíça, admitindo como Lojas Regulares do Regime Retificado somente aqueles constituídos na França pelo Grande Diretório das Gálias e na Suíça apenas aqueles que dependem diretamente do Grande Priorado Independente de Helvétia. [4]

Finalmente, objetivando poder trabalhar o Rito, em 24 de outubro de 1935, em virtude dos acordos concluídos entre o Grande Diretório das Gálias e o Grande Priorado Independente de Helvétia, retomando os termos da Carta Patente do despertar do Regime de 20 de março de 1935, e “considerando que é desejável, em interesse da Ordem Maçônica em geral e do Regime Escocês Retificado em particular, manter e reafirmar as relações cordiais e fraternais que unem o Grande Diretório das Gálias e o Grande Priorado Independente de Helvétia” [5], Camille Savoire, enquanto Grão-Mestre e Grão-Prior do Grande Diretório das Gálias, cria oficialmente a Grande Loja do Regime Retificado da França, sendo seu Grão-Mestre o Ir. René Wibaux (1887-1959). [6]

A Grande Loja do Regime Retificado da França não foi, como evidentemente era de se esperar, reconhecida pelas Obediências maçônicas francesas, e de fato não firmou com nenhuma delas nenhum Tratado de Reconhecimento. Mas seu objetivo era, e consistia antes de tudo em permitir uma prática do Regime fiel a seus princípios fundacionais, desvinculando-se de estruturas administrativas profanas que, pouco a pouco, haviam deteriorado a Franco-Maçonaria Retificada de sua perspectiva iniciática e espiritual.

Assim, apesar de a dura batalha que devia realizar para voltar à cena da história do projeto willermoziano, Camille Savoire, admirável em convicção e tenacidade, persuadido de que o sistema decretado durante o Convento das Gálias em 1778 e retificado em 1782 em Wilhelmsbad, só deve e pode, por sua originalidade organizativa, sua concepção hierárquica cavaleiresca e sua especificidade iniciática e doutrinal, viver fora de estruturas maçônicas que não possuem nenhuma qualificação iniciática ante o Regime Retificado, busca estabelecer, apesar de todos os obstáculos, o mais valioso de tudo: a independência absoluta da Ordem.

Camille Savoire mantém-se fiel a sua visão até a data de sua morte em Paris, em 05 de abril de 1951, e deixa a seus sucessores prosseguir com a obra empreendida.

Seria prolongar-se reconstruir a história das renúncias ocorridas ao longo de 80 anos que tem distanciado, lamentavelmente, pouco a pouco, o projeto de 1935 de seus objetivos. Apontamos simplesmente que ao intitulado “Grande Diretório das Gálias” lhe foi conferida em 1946 uma existência legal sob uma denominação que havia sido, com efeito, utilizada em alguma ocasião antes da guerra sob a variante “Grande Priorado Independente das Gálias”, mas que, no entanto, não figurava nestes termos na “Carta Constitutiva e Cartas Patentes” de março de 1935 expedidas pelo Grande Priorado Independente de Helvétia, instância nova criada que se dá a conhecer sob o nome de “Grande Priorado das Gálias”. [7]

É por isso que, sabendo-se que o “Grande Diretório das Gálias” foi adormecido em setembro de 1939, e que a instância que o sucede em 1946 não deixa, ao longo das décadas, de afastar-se cada vez mais dos critérios originais da Ordem, a decisão do “Despertar” foi tomada em 15 de dezembro de 2012 em Lyon a fim de retomar fielmente os princípios que foram decretados e estipulados em 1935. Este despertar é acompanhado da transmissão da Carta do Grão-Mestrado emitida por Camille Savoire, garantindo do ponto de vista dos critérios retificados a transmissão intuitu personae de Grão-Mestre para Grão-Mestre, desde Camille Savoire, transmissão efetuada entre o antigo Grão-Mestre do G.P.D.G., Marcus, i.O. Eq. ab Insula Alba (renunciou do G.P.D.G. em 26 de setembro de 2009 tendo se recusado instalar o novo Grão-Mestre eleito, e que poderia transmitir seu cargo em razão desta recusa), e Johannes-Marcus, i.O. Eq. A Crucis Mysterio, durante a cerimônia do “Despertar” do Grande Diretório das Gálias em 15 de dezembro de 2012, cerimônia de transmissão que tem valor legítimo – princípio evidente conhecido no plano iniciático – uma vez que a substância da transmissão dentro do Regime Retificado não depende de uma “propriedade de estrutura”, mas estabelece-se sobre a base de posse pessoal de títulos e qualificações que participam de uma natureza não-institucional.

Desta forma, acreditamos ser necessário neste ano de 2015, que corresponde ao 80º aniversário do retorno do Regime Retificado na França, aclamar e celebrar como merece a inciativa que teve início em março de 1935, ao mesmo tempo que recordamos as bases sobre as quais Camille Savoire desejou o “Despertar” da Ordem, bases que repousam sobre os critérios especificados pela “Carta Constitutiva” que presidiu a fundação do Grande Diretório das Gálias, e que em essência são os de “Praticar o Rito Escocês Retificado em conformidade com os estatutos da Ordem tal como estão em uso na Suíça, e especialmente manter em sua integridade as decisões decretadas nos diversos Conventos de Kohlo em 1772, de Wilhemsbad em 1782 e das Gálias em 1778”. [8]

É, pois, neste “espírito”, e por fidelidade a conformidade das decisões resultantes de seus Conventos históricos, que a Ordem pode, pela “Refundação” que acaba de ser operada em Lyon em 15 de dezembro de 2012, olhar de novo o futuro com esperança, e celebrar dignamente o atual 80ª aniversário do “Despertar” da “Fênix Ressurgente”, ou seja, segundo a expressão de Jean-Baptiste Willermoz: O renascimento da Ordem, voltando a suas leis primitivas… (J.-B. Willermoz, 1809, ms 5922/2 BM de Lyon).

A este novo e esperançoso “Despertar” da Ordem Retificada, se uniu também o Grande Priorado Retificado de Hispania, formalizando um Tratado de Reconhecimento e Amizade com o Diretório Nacional Retificado da França – Grande Diretório das Gálias, em 14 de dezembro de 2014 em Lyon, durante a Loja solene da Grande Loja Escocesa, reafirmando solenemente o compromisso indefectível para o reconhecimento, a defesa e a conservação do Regime Escocês Retificado em sua especificidade organizativa, estrutural e doutrinal, a fim de que sua essência não seja alterado pelo tempo, e declarando sua vontade de promover o referido Regime Retificado conservando em todo momento a fidelidade íntegra a seus Princípios Fundacionais promulgados no Código Maçônico das Lojas Reunidas & Retificadas da França e no Código Geral dos Regulamentos dos Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa, tal como foram aprovados pelos Deputados dos Diretórios no Convento Nacional de Lyon em 1778.

Com a ocasião do 80º aniversário do “Despertar” do Regime Escocês Retificado, foi reeditado, acompanhado de um Prefácio de apresentação escrito por Jean-Marc Vivenza, a obra publicada por Camille Savoire em 1935:

80º ANIVERSÁRIO DO “DESPERTAR” DO REGIME ESCOCÊS RETIFICADO NA FRANÇA
“Observações sobre os Templos da Franco-Maçonaria”
(Regards sur les Temples de la Franc-maçonnerie, 1935, re-edición La Pierre Philosophale, 2015)
Notas:

1. Participaram desta Sessão: Savoire, Grão-Prior/Grão-Mestre nacional; Machon, Grande Chanceler; Wibaux, Wachmar, Devaux, Corbin, Charrière y Édouard de Ribaucourt;

2. C. Savoire, Pourquoi avons-nous réveillé le Rite Rectifié en France? (Porque despertamos o Rito Retificado na França?), in C. Savoire, Regards sur les Temples de la Franc-maçonnerie, 1935, re-edición La Pierre Philosophale, 2015. Savoire diz: “Aqui está como despertamos regularmente na França o Rito Retificado: este despertar se fez de acordo e com a colaboração da única Potência que detinha a autoridade suprema sobre o Rito no mundo e em conformidade com as decisões dos diversos Conventos de 1778, 1782, 1808 e 1811, e executando a decisão tomada em 1828 pelo Diretório da 5º Província de Neustrie, delegando a última de suas Prefeituras, dita de Zurich, seus arquivos, prerrogativas, direitos, etc., com a missão de os conservar até o dia em que o despertar do Retificado pudesse efetuar-se na frança e permitiria recuperá-los”;

3. Cf. G.P.I.H., Carta-Patente constitutiva do Grande Diretório das Gálias, 23 de março de 1935;

4. Cf. Tratado de Aliança e de Amizade entre o Grande Diretório das Gálias e o Grande Priorado de Helvétia, 25 de Julho de 1935;

5. Em seu ponto 2, o Tratado insistia no fato de que devia ser observado uma completa lealdade aos graus, formas, cerimônias, tradições e rituais do Regime: “Os Altos Graus do Regime Escocês Retificado consistem na Loja de Santo André e na Ordem Interior (Escudeiros Noviços e Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa). As duas Potências contratantes estão de acordo em conservar as formas, cerimônias, tradições, lendas e instruções dos diferentes graus do Rito” (Tratado de Aliança e Amizade entre o Grande Diretório das Gálias e o Grande Priorado de Helvétia, 25 de julho de 1935);

6. Esta Grande Loja estava constituída em primeiro lugar por quatro Lojas simbólicas: La Morinie, em Touquet; Les Philadelphes, em Lille; Les Templiers, em Paris, e Les Amis Bienfaisants, em Rouen. Mais tarde se constituíram outras quatro Lojas: Justice et Fraternité, em Calais; La Tradition Écossaise, em Bordeaux; Côte d’Azur, em Nice e Tradition, em Paris.

7. Este nome registrado legalmente em 1946, evidentemente não existe na matrícula do Convento das Gálias de 1778, já que a expressão “Gálias” designa a França sob domínio romano antigo (latim Gallia), englobando as três províncias da Ordem (IIª Auvernia, IIIª Occitania, Vª Borgoña), mas não está ligado a nenhum Grande Priorado levando o nome de “das Gálias” (sic), que poderá se buscar em vão esta matrícula das três Províncias francesas, decretada no Convento nacional realizada em Lyon em 1778 – estabelecida durante a 2ª Sessão do Convento das Gálias em 27 de Novembro de 1778 (Cf. MS 5.482, BM de Lyon). É, portanto, esta instância de nova criação, ao menos no plano terminológico in abstracto em 1946, a que por uma “Convenção” fechada em 13 de junho de 1958 foi integrada na grande Loja Nacional Francesa (G.L.N.F.) até junho de 2000;

8. Cf. G.P.I.H., Carta Patente constitutiva Cartas Patentes, 23 de março de 1935.

Novas Lojas de São João e de Santo André no Brasil Jurisdicionadas ao G.P.R.D.H.

Novas Lojas de São João e de Santo André no Brasil Jurisdicionadas ao G.P.R.D.H.

Durante os dias 13 e 14 de maio, nos Vales de Cochabamba (Oriente da Bolivia), aconteceram diversos Trabalhos da Ordem Rectificada que ampliarão e potencializarão notavelmente a atividade da Classe Maçônica no Brasil.

Mestres Escoceses de Santo André e Lojas de São João

Após serem recibidos Mestres Escoceses de Santo André os Irmãos MM. Brasileiros Daniel Barbosa L. F. C. de S., Juarez Fernandes dos S. e Luciano Pereira dos S., na cerimônia oficiada na J. e P. L. Cavaleiros do Graal nº 8, dois Triângulos Maçônicos Retificados do Brasil foram constituidos como novas Lojas de São João: a R.L. Cavaleiros da Regeneração 18 em Foz do Iguaçu (Paraná) (Decreto 2022/04) e a R.L. Oración e Caridade nº 22 no Rio Grande do Sul (Decreto 2022/05). Seguidamente foram instalados os seguintes Veneráveis Mestres: Juarez Fernandes dos S. como V.M. da R.L. Vera Cruz nº 17, João das Neves D. N. como VM da R.L. Cavaleiros da Regeneração nº 18 e Daniel Barbosa L. F. C. de S. como VM de la R.L. Oração Caridade nº 22.

J. e P. Loja Vera Cruz n° 17

E graças a perseverança e o bom trabalho destes Irmãos também foi possível consagrar e patentar a Justa e Perfeita Loja de Mestres Escoceses de Santo André Vera Cruz nº 17 que trabalhará nos Vales do Rio de Janeiro, sendo instalado como seu primeiro Deputado Mestre o Respeitável Irmão João das Neves D. N. (Decreto 2022/03). A Consagração e instalação foi levada a efeito pelo Visitador Geral para a América Latina, o Respeitável Irmão Juan Carlos Avilés V., por delegação do Sereníssimo Grão Mestre/Grão Prior.

Congratulações e empenho do GPRDH

Nos congratulamos pela força e vigor que a Ordem Retificada tem mostrado no Brasil e pelos vínculos fraternais que permitiram uma correta transmissão através da Bolivia, o que permite expandir a Orden na América Latina sob os auspícios do Gran Priorato Rectificado de Hispania, reafirmando solenemente o compromiso indefectível pelo reconhecimento, a defesa e a conservação do Regime Escocês Retificado em sua especificidade organizativa, estrutural e doutrinaria, a fim de que sua essência não seja alterada pelo tempo, declarando sua vontade de promover tal Regime Retificado conservando em todo momento a fidelidade integral a seus Princípios fundacionais promulgados no Código Maçônico das Lojas Reunidas & Retificadas de França e no Código Geral dos Regulamentos dos Cavaleiros Benfeitores da Cidade Santa, tal como foram aprovados pelos Deputados dos Diretórios no Convento Nacional de Lyon em 1778.

Os princípios de Regularidade

O Gran Priorato Rectificado de Hispania proclama que estas leis e princípios nos quais se inspira (assim como a doutrina iniciática resultante das instruções de a Ordem), foram considerados como invioláveis pelos Fundadores do Regime Escocês & Retificado, e nenhuma instância, Maçônica ou cavalheiresca, tem poder de modificá-los, nem de transformar suas regras ou seu espírito, ou mesmo submetê-los a interpretações dogmáticas, confessionais, obediênciais ou profanas, mas que seu primeiro dever, claramente estipulado e explícitamente determinado, é o de respeitá-los e faze-los respeitar. Estes Princípios implicam necesariamente que a Ordem resultante da Reforma de Lyon em 1778 obtem únicamente sua legitimidade e sua “regularidade”, independente das qualificações iniciáticas de seus membros, por sua fidelidade observada ante os principios enunciados e decretados em 1778 durante o Convento das Galias e ratificados no Convento de Wilhemsbad em 1782.

CONVENÇÃO NACIONAL DO DNRF-GDDG EM MARSELHA

CONVENÇÃO NACIONAL DO DIRETÓRIO NACIONAL RETIFICADO DA FRANÇA – GRANDE DIRETÓRIO DAS GÁLIAS EM MARSELHA

No último sábado, dia 02 de abril, foi realizado em Marselha a Convenção Nacional anual da Grande Loja, no Castelo de Santo Antônio da Grande Loja da França, com a presença de mais de 160 Irmãos e a visita de 17 delegações representando Jurisdições e Obediências amigas: Grande Loja da França, Gran Priorato Rectificado de Hispania (com a presença do Sereníssimo Grão Mestre/Grão Prior, do Visitador Geral e do Grande Vice-Conselheiro), Grande Priorado Retificado da Itália, Grandes Priorados Unidos da França, Ordre Ecossais des Chevaliers du Saint Temple de Jérusalem, Grande Loja Tradicional da França, Priorado de Provença e Forez dos Grandes Priorados Unidos da França, Supremus Militaris Templi Hierosolymitani Deutschland, Ilustre Ordem da Estrita Observância, Aliança Maçônica da França, Priorado da Nova França (Quebéc), Altos Graus do Rito Francês da Confederação Helvética; sendo assinado um novo Tratado de Amizade nesta ocasião entre o Diretório Nacional Retificado da França – Grande Diretório das Gálias e a Grande Loja Soberana de Portugal.

TRATADO

Este Tratado resulta da vontade de aproximar as Potencias signatárias, investidas da plenitude da transmissão iniciática, maçônica e cavaleiresca, que ostentam desde suas respectivas legitimidades, para desenvolver entre elas relações de amizade fraternal e cooperação, trabalhando no fortalecimento de suas relações para prosseguir em comum vontade seu labor de defesa, preservação e conservação dos princípios da Maçonaria tradicional.

RENOVAÇÃO DE CARGOS

Durante esta Convenção da Grande Loja, onde foi realizada a renovação dos cargos, mandatos e funções de todos os Grandes Dignatários Nacionais do DNRF-GDDG por um novo período de quatro anos, a Grande Loja Soberana de Portugal, através de seu Grão-Mestre, outorgou também o título de “Grão-Mestre de Honra” ao Sereníssimo Grão-Mestre Nacional e Grão-Prior do Diretório Nacional Retificado da França – Grande Diretório das Gálias.

ENTREGA DE UM NOVO EXEMPLAR DA REVISTA “LE PHÉNIX RENAISSANT”

O Sereníssimo Grão-Mestre do GPRDH teve a honra de receber durante o jantar de gala um novo exemplar da revista “Le Phénix Renaissant”, que aborda nesta edição “A imortalidade da Alma, sua ‘emanação’ e sua ‘reintegração’ segundo o Regime Escocês Retificado”, das mãos de seu autor Jean-Marc Vivenza, Sereníssimo Grão-Mestre do DNRF-GDDG, com a autorização de poder ser aditado em língua espanhola em um novo livro.

Convento Nacional Marsella-Tenida abierta2
Convento Nacional Marsella-Tenida abierta
Convento Nacional Marsella- Firma Tratado